Documentário homenageia o padre operário Domingos Barbé - Marcos Martins

Documentário homenageia o padre operário Domingos Barbé

Nesta quarta-feira, 25/5, às 19h, o padre Domingos Barbé será homenageado com a exibição de um filme sobre sua trajetória, na Sala Osasco. Conhecido por sua liderança operária junto as Comunidades Eclesiais de Base, sua atuação em Osasco e no Brasil é lembrada pela defesa dos trabalhadores, a fundação do Secretariado Nacional Justiça e Não-Violência e por sua resistência durante a ditadura militar.
Domingos Barbé nasceu em Paris, na França, em dezembro de 1931. Filho mais velho de uma família de 12 irmãos, Barbé foi ordenado sacerdote aos 26 anos, quando ainda trabalhava em uma vila operária da periferia da capital francesa. Depois de anos dedicados à Missão Operária São Pedro e São Paulo (MOPP), Barbé se mudou para o Brasil, em 1964, e passou a morar no bairro da Vila Yolanda, em Osasco.
Em Osasco, Barbé se dedicou à formação de lideranças operárias em comunidades eclesiais de base. Também foi ativista da não-violência e chegou a escrever o livro Graça e Poder, sobre a necessidade da ação da não-violência na luta social do Brasil. Em 1978, fundou, ao lado de outros sacerdotes católicos, pastores evangélicos, agentes pastorais e cristãos engajados, o Secretariado Nacional Justiça e Não-Violência.
No início de abril, o deputado Marcos Martins gravou um dos depoimentos que compõe o documentário que contará a história do padre Barbé no Brasil. Dirigido por Antonio Ferreira da Costha e Roberto Carlos Alves, o filme é um resgate da história de luta de um dos mais conhecidos padres operários que marcaram a resistência pacífica durante a ditadura militar no Brasil. Em sua juventude, Martins trabalhou ao lado de padres ligados à causa operária na inclusão social e formação educacional de trabalhadores.

Nesta quarta-feira, 25/5, às 19h, o padre Domingos Barbé será homenageado com a exibição de um filme sobre sua trajetória, na Sala Osasco. Conhecido por sua liderança operária junto as Comunidades Eclesiais de Base, sua atuação em Osasco e no Brasil é lembrada pela defesa dos trabalhadores, a fundação do Secretariado Nacional Justiça e Não-Violência e por sua resistência durante a ditadura militar.

Domingos Barbé nasceu em Paris, na França, em dezembro de 1931. Filho mais velho de uma família de 12 irmãos, Barbé foi ordenado sacerdote aos 26 anos, quando ainda trabalhava em uma vila operária da periferia da capital francesa. Depois de anos dedicados à Missão Operária São Pedro e São Paulo (MOPP), Barbé se mudou para o Brasil, em 1964, e passou a morar no bairro da Vila Yolanda, em Osasco.

Em Osasco, Barbé se dedicou à formação de lideranças operárias em comunidades eclesiais de base. Também foi ativista da não-violência e chegou a escrever o livro Graça e Poder, sobre a necessidade da ação da não-violência na luta social do Brasil. Em 1978, fundou, ao lado de outros sacerdotes católicos, pastores evangélicos, agentes pastorais e cristãos engajados, o Secretariado Nacional Justiça e Não-Violência.

No início de abril, o deputado Marcos Martins gravou um dos depoimentos que compõe o documentário que contará a história do padre Barbé no Brasil. Dirigido por Antonio Ferreira da Costha e Roberto Carlos Alves, o filme é um resgate da história de luta de um dos mais conhecidos padres operários que marcaram a resistência pacífica durante a ditadura militar no Brasil. Em sua juventude, Martins trabalhou ao lado de padres ligados à causa operária na inclusão social e formação educacional de trabalhadores.