Estudantes voltam a ocupar escolas por todo país - Marcos Martins

Estudantes voltam a ocupar escolas por todo país

Crédito: Mídia Ninja

Estudantes voltam a ocupar escolas por todo país
A onda de ocupações estudantis vem retomando unidades escolares por todo país. Com mais de 769 escolas ocupadas, segundo a UBES, estudantes manifestam-se contra as medidas propostas pelo Governo Federal, sendo elas a PEC 241 (PEC do Teto), MP 746 (MP do Ensino Médio) e o PL “Escola sem Partido/Lei da Mordaça”. Os representantes estudantis argumentam que essas medidas são um verdadeiro desastre para a educação pública brasileira.
Além das ocupações, milhares de pessoas marcharam essa semana por todo país contra a chamada PEC do Teto, que ameaça congelar os gastos sociais, como em saúde e educação, por até 20 anos.
Considerada inconstitucional pela Procuradoria-Geral da República, a PEC 241 segue o mesmo caminho da chamada MP 746 – do Ensino Médio, que o Ministério Público Federal também considerou inconstitucional por extrapolar seus poderes.
Segundo Daniel Cara, coordenador-geral da  Campanha Nacional pelo Direito à Educação (CNDE), a MP 746, além de ser antidemocrática no método aplicado, não responde as questões de infraestrutura das escolas, de valorização profissional dos docentes e da manutenção dos estudantes nos bancos escolares.
Por sua vez, o deputado estadual Marcos Martins vem acompanhando as mobilizações e declarou apoio às manifestações realizadas por estudantes e trabalhadores. “Não podemos admitir tamanho ataque a educação pública brasileira”, salientou Martins.

A onda de ocupações estudantis vem retomando unidades escolares por todo país. Com mais de 769 escolas ocupadas, segundo a UBES, estudantes manifestam-se contra as medidas propostas pelo Governo Federal, sendo elas a PEC 241 (PEC do Teto), MP 746 (MP do Ensino Médio) e o PL “Escola sem Partido/Lei da Mordaça”. Os representantes estudantis argumentam que essas medidas são um verdadeiro desastre para a educação pública brasileira.

Além das ocupações, milhares de pessoas marcharam essa semana por todo país contra a chamada PEC do Teto, que ameaça congelar os gastos sociais, como em saúde e educação, por até 20 anos.

Considerada inconstitucional pela Procuradoria-Geral da República, a PEC 241 segue o mesmo caminho da chamada MP 746 – do Ensino Médio, que o Ministério Público Federal também considerou inconstitucional por extrapolar seus poderes.

Segundo Daniel Cara, coordenador-geral da  Campanha Nacional pelo Direito à Educação (CNDE), a MP 746, além de ser antidemocrática no método aplicado, não responde as questões de infraestrutura das escolas, de valorização profissional dos docentes e da manutenção dos estudantes nos bancos escolares.

Por sua vez, o deputado estadual Marcos Martins vem acompanhando as mobilizações e declarou apoio às manifestações realizadas por estudantes e trabalhadores. “Não podemos admitir tamanho ataque a educação pública brasileira”, salientou Martins.