Marcos Martins faz nova cobrança ao secretário estadual de Saúde pelo Centro Oncológico em Osasco - Marcos Martins

Marcos Martins faz nova cobrança ao secretário estadual de Saúde pelo Centro Oncológico em Osasco

Crédito: Assessoria/MM

Durante reunião realizada na manhã desta segunda-feira (23/6), o deputado estadual Marcos Martins (PT), acompanhado de assessores e membros da Associação dos Expostos e Intoxicados por Mercúrio Metálico (AEIMM), levou ao secretário de Saúde do Estado de São Paulo, David Uip, algumas demandas relacionadas à pasta.

O motivo principal da reunião foi solicitar urgência na validação do protocolo de atendimento para pacientes de mercurialismo na rede pública de saúde, apresentado à Secretaria ainda na gestão do ex-secretário Giovanni Guido Cerri, mas que até agora não teve andamento.

O parlamentar é autor da Lei 15.313/2014 -que proíbe o uso e armazenamento de equipamentos que contenham mercúrio nos hospitais públicos do estado, como os termômetros, por exemplo- e pediu o reconhecimento do programa de tratamento para facilitar o diagnóstico da doença e promover pronto atendimento, visto que uma das principais dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores expostos ao mercúrio é o acesso a uma abordagem médica direcionada.

O vice-presidente da AEIMM, Valdivino dos Santos Rocha, explicou que o protocolo consiste em um procedimento de atendimento padrão para pacientes vítimas de contaminação por mercúrio metálico. “É fundamental essa validação para que o atendimento psiquiátrico oferecido aos pacientes seja adequado. Hoje, muitos médicos psiquiatras emitem laudos que não levam em consideração a complexidade do diagnóstico dos trabalhadores vítimas de exposição ao mercúrio”, disse Valdivino. A exposição ao mercúrio causa problemas no sistema nervoso central, entre vários outros danos à saúde humana.

O secretário recebeu cópia do documento anexado a um questionário a ser utilizado no atendimento e se comprometeu a verificar o andamento da solicitação. “Se tudo estiver correto vamos dar andamento o mais breve possível para essa questão”, declarou.

Centro de Hemodiálise

Marcos Martins aproveitou o encontro para perguntar ao secretário se o Centro de Hemodiálise do Hospital Regional de Osasco será realmente fechado, conforme informações que circulam no município. O Centro foi uma conquista do parlamentar quando exerceu mandato de vereador na cidade.

Uip respondeu que o serviço continuará a ser prestado e atribuiu as informações a boatos. “O que há realmente é a dificuldade de contratar profissionais. Hoje não contratamos diretamente, a contratação tem que ser de uma empresa, via pessoa jurídica, e isso tem atrasado o funcionamento do Centro. Mas nunca cogitamos o fechamento da hemodiálise”, ressaltou.

Perguntado sobre o prazo para a conclusão das reformas no Hospital, que já duram mais de três anos e prejudicam o atendimento no município, o secretário de governo evitou dar um prazo conclusivo, e só disse que “agora é com a construtora”.

Centro de Oncologia

Outra questão também levada por Marcos Martins foi com relação à implantação do Centro de Tratamento de Câncer de Osasco. O Parlamentar cobrou do Secretário que seja cumprido o prazo dado pelo governador em maio.

David Uip garantiu que a unidade será inaugurada até o final de julho, oferecendo tratamento de quimioterapia. Já a radioterapia depende de um acelerador nuclear que, de acordo com Uip, está em processo de aquisição pelo governo do estado. “Fizemos a assinatura do convênio com o Icesp (Instituto do Câncer de São Paulo), e agora os trâmites ocorrerão rapidamente. Já passamos a concessão de uso do prédio para o Icesp, e a proposta do Instituto é de que até o final de julho será iniciado o atendimento da quimioterapia”, concluiu.

Também participaram da reunião Everaldo Francisco da Silva, presidente da AEIMM, Osvaldo Gonçalves Carvalho, diretor da associação, Amauri Lima, membro da ABREA (Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto) e Paulo Cesário Júnior, assessor parlamentar.